sábado, 10 de dezembro de 2016

Com adoção como plano de fundo “O sono da morte” (Before I wake) surpreende

NÃO CONTÉM SPOILER

Diretor Mike Flanangan
Elenco Kate Bosworth, Jacob Tremblay, Thomas Jane e outros.
Drama, suspense, fantasia de 2016

Imagem de divulgação

Sinopse

Logo após perder o filho pequeno, o casal Jessie (Kate Bosworth) e Mark (Thomas Jane) aceita adotar Cody (Jacob Tremblay), um garoto da mesma idade. O filho adotivo se adapta bem à nova família, mas ele tem um problema: os seus sonhos se tornam realidade, e os pesadelos, especialmente, podem ser mortais. Quando Jessie e Mark investigam o passado do garoto, descobrem histórias sinistras.

Crítica

O plano de fundo do filme é a adoção e os traumas que uma criança pode reter dentro de si. A dor do abandono pode ter efeitos desconhecidos numa criança que precisa de apoio e orientação para externar e entender o turbilhão de coisas que se passa a volta dela. E o filme supõe que a “devolução” de uma criança recém adotada ao orfanato, acontece porque a família em questão não está preparada para ser pais.

O filme não tem essa lógica com essa receitinha pronta de filmes de terror/suspense de crianças adotadas violentas, assassinas, monstruosa, à exemplo O caso 39 e a A órfã, que só acarreta em estereótipos que prejudicam crianças já tão expostas ao abandono.

Imagem da internet
E é com esse fundo que nós conhecemos Jessie (Kate Bosworth, a moça de um olho de cada cor, no filme há uma menção aos olhos dela) e Mark (Thomas Jane) que perderam o filho pequeno de maneira trágica. Por não poderem mais ter filhos, resolvem adotar uma criança já grandinha, como uma forma de amenizar a dor da perda que abalou o jovem casal.

Logo de início, eles descobrem que o pequeno Cody (Jacob Tremblay) é muito especial, tem dons relacionados com seus sonhos, só que esse poder pode ser brutal já que Cody, além de belos sonhos, tem terríveis pesadelos. Contudo, Jessie começa a se aproveitar da condição de Cody, daí o trauma pela perda do filho volta a atormentá-la.

E, apesar disso, nasce entre Cody e Mark um amor  muito comovente, uma união que é construída aos poucos, mostra como ele estava de coração aberto para ser pai. O filme constrói cenas que você começa a imaginar seus momentos com o seu pai, de tão real que é o sentimento que os atores interpretam.

Imagem da internet
Imagem da internet
Cody, um garotinho de oito anos que já passou por cinco famílias (se não me engano) e que não se adaptou a nenhuma, embora fosse um garoto educado, altruísta, sociável e gentil, um único defeito é o suficiente para ter repulsa e medo do pequeno órfão.

Depois de vários acontecimentos, Jessie sem informações sobre a mãe e o pai de Cody, resolve buscar entender o que se passa com aquele garoto e daí começa o thriller, as cenas de terror. Para, em seguida, nos últimos minutos ter um grande apelo emocional, que é comovente. Com a mensagem de “O amor cura todo” o filme se encerra de maneira sensível, eu não imaginava este fecho.

E, novamente, o plano de fundo aparece mais insinuante, com a mensagem de crianças adotadas são muito especiais, sua origem é especial, o passado faz parte da história delas e de quem elas são, o que essas crianças precisam é amor e orientação, porque no final tudo pode ser corrigido, não sabemos até onde o “poder” delas pode ir, porque é infinito como o amor.

A fotografia é simples, nos momentos de terror e suspense o filme está com luzes mais baixas, a maioria das cenas é filmado com luzes bem acesas, não é aquele filme de terror escuro (acho péssimo). Têm poucos cenários, a interpretação é o carro chefe do filme.

Aliás, “O sono da morte” traz o novo, este terror-drama psicológico familiar é parecido com Quando as luzes se apagam pela similaridade do amor familiar e seus traços particulares e, um pouco, com Under the bed, mas só na questão da exploração dos sonhos de uma criança, de resto é bem diferente.

Eu nunca assisti a um filme que conseguia unir tão bem mensagem de amor, terror e drama ao mesmo tempo como O sono da morte faz. Acho que merece uma continuação. Gostaria de ver Cody adulto ou adolescente e saber como se desenrolou o resto da história. 

Nota: 10

Imagem da internet

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Youtube

Facebook

Pinterest

Instagram