sábado, 29 de setembro de 2018

O inquitante filme "O Vídeo de Benny" (Benny's Video)


O filme lançado em 1992, conta a história do Benny (Arno Frisch), um garoto que vive no anos 80 no ápice da fita VHS e programas televisivos. Benny não é um telespectador passivo, ele gosta de gravar vídeos e interagir tecnologicamente.

Mas Benny é diferente em muitos sentidos.  Não demonstra muitos sentimentos. É um adolescente, por volta dos 14 anos, que possui amigos até, entretanto é bem apático e muitas vezes antissocial. 



Benny produz filmes caseiros amador e é obcecado por uma fita em especial (que é a primeira cena do filme) de um porco sendo abatido. 

Um belo dia, Benny convida uma garotinha meio estranha e tímida, que está em frente a locadora que ele frequenta, para ir a sua casa pegar filmes emprestados. Com a câmera ligada em seu quarto gravando tudo, Benny resolve desafiar a garota, que recua. Ao ser desafiado por ela, Benny comete um crime.

Os acontecimentos que se seguem são importantes. O filme trabalha com uma câmera quase sempre em closes. Se eu não me engano, o filme não tem trilha sonora. Com longos diálogos, que demonstram a forma fria que os pais de Benny tratam toda a situação, como se nada grave tivesse acontecido. A vida segue para "salvar" Benny. E o desfecho do longa é inacreditável. 



Benny é resultado do meio em que vive. Um ambiente familiar seco e com poucas demonstrações de afeto e responsabilidade. Amar e mimar é diferente, é necessário corrigir. Eu tive a impressão de vazio enquanto assistia o filme. 

A casa é cheia de coisas, não falta nada de material para o Benny, a situação financeira familiar é muito boa, parecem ser de classe média ou ricos, e ao mesmo tempo é tudo completamente vazio. A fotografia e as cores utilizadas para compor o filme são sóbrias dão essa sensação de frieza, insensibilidade e desânimo. 

Talvez, no silêncio de Benny se encontra muitas dúvidas, medos, faltas e carências. Um pedido de socorro. Não isentando ele da parcela da responsabilidade de tudo aquilo.

Quem sabe, a culpa (aparentemente, Benny tem uma visão deturpado de certo e errado. Parece perdido.) estava deixando ele mais desanimado diante a vida, porém ele não demonstra arrependimento ou dor pelo ocorrido.  



É um filme austríaco que concorreu ao Oscar na categoria de filme estrangeiro no ano de 1993. Do diretor Michael Haneke que captou o ambiente familiar tóxico resultado da ausência, irresponsabilidade, criação sem valores e distância emocional.

Apesar de ser classificado como drama e policial, "O vídeo de Benny" é terror indiferente. Por ser um filme que trata da apatia familiar é linear, sem muitos rompantes. Para alguns pode parecer lento. Contudo, cada minuto do filme é inquietante. 

Você consegue assistir o filme online nesses sites gratuitos e tem disponível no youtube. 


*Todas as imagens utilizadas são de divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Youtube

Facebook

Pinterest

Instagram