segunda-feira, 26 de junho de 2017

O mito da manic pixie dream girl


Manic Pixie Dream Girl (MPDG) é um termo criado por Nathan Rabin, em meados de 2007, para descrever uma personagem, até então pouco corriqueira, que virava mania entre jovens. Uma moça subordinada a um homem, que aparenta ser independente e livre. Mas, nos últimos anos, os filmes começaram a explorar muito a MPDG, e muita gente passou a discordar desse estereótipo que assola o cinema internacional. 

É como Narciso* e seu reflexo na água, as Manic Pixie Dream Girl é a visão idealizada de um homem do que seria a mulher perfeita, ou seja, ele se apaixona por ele mesmo.

A definição é simples: uma mulher passiva-ativa, moldada por um víeis machista, porém as características tem que se encaixar nos "anseios" da mulher contemporânea. Vamos lá! 

A MPDG  é bela sem ser vulgar; louca; prestativa, quase vive inteiramente para agradar a um outro personagem masculino; seu problema envolve seu homem que na maioria das vezes é 10, 20, 40 anos mais velho que ela; que por sua vez, sempre tem menos de 30 anos, se vestem de forma peculiar (aliás, muito infantil), bem diferentona; perfeita para casar; perfeita para ser amante (amante ingênua que não sabe que esta fazendo mal a outra mulher, óbvio) e ela tem um gosto bem especifico para músicas; dança esquisito; inteligente, mas não muito; distraída; liberada sexualmente; serve de inspiração e consolo para algum homem que está passando por uma fase ruim, crise da meia idade ou ócio criativo e etc etc etc. Ela preenche o vazio desse homem e é preenchida por ele. 

O mito da MPDG está em todas as características atribuídas a ela.  São falsamente liberadas sexualmente, são elas que iniciam sexualmente esses homens, que tem até o triplo da idade delas, elas sabem o que ELES querem.  

A  liberação  feminina é uma farsa, porque o machismo aceita e concorda com a objetificação feminina, que está diretamente ligada a subordinação de uma mulher ao homem, os desejos dele são o centro. "O objeto é sempre subordinado ao sujeito". 

E o melhor de tudo? Elas sabem a hora de ir embora, de sair da vida desses homens, sem precisar de explicações, conversas e D.R. (Discutir Relacionamento). 

A  visão machista maquiada de romance. A mesma visão machista do século passado, só que com uma roupagem atual-descolada para agradar o público que se intitula cool.

O mito piora quando todas as personagens estão ligadas ao mito da beleza, mulheres que estão dentro do estereótipo do que é bonito: brancas, alta, magras, usam pouca maquiagem para mostrar um rubor natural, tem olhos claro e jovens.

O criador do termo, Nathan Rabin, escreveu um texto se desculpando pelo termo dizendo que a definição é demasiado reducionista. Na verdade, ao longo do texto, descobrimos que não é uma desculpa, é uma critica mais ácida a tantas outras personagens baseadas na sua definição com as mesmas características. A cultura pop e a indústria do entretenimento, de acordo  com ele, se apropriou do termo e criou muitas outras personagens, Rabin diz no texto que deve-se escrever personagens com mais nuances e multidimensionais,  mulheres de espíritos livres que dancem na chuva e toquem ukulele sem ter um homem a contemplando. 

Porque tem pessoas e, principalmente, mulheres que caem na armadilha da MPDG?

Qual Manic Pixie Dream Girl você é?

Classificação de homens dos filmes das manic pixie dream girl (ou algo assim)

Ora, mulheres são mulheres, mas foram todas (nós) criadas dentro deste mundo machista na lógica e na visão de um homem, Pierre Bourdieu chamou de dominação masculina. A dominação masculina é resultado das estruturas sociais estabelecidas que privilegiam os homens, e subordinam as mulheres.

As mulheres são induzidas e criadas para se encaixar em ideais masculinos e se não alcançam  a meta de se tornar "a garota dos sonhos" se culpam e se autoflagelam.

Assisti esse dias o filme "Fences", pela segunda vez, Viola Davis interpreta Rose, uma mulher que vivei para o marido; ela era triste e infeliz. Não há felicidade quando você abre mão de você pelo outro, se anulando.

A indústria cinematográfica precisa ser questionada para assim  criar personagens femininas de verdade, e sem xenofobia e racismo. 

Pensem nisso!

* UPDATE importante: O arquétipo da Manic Pixie Dream Girl já existia na mitologia grega no livro "Pigmaleão" que conta a história de um um rei que se apaixonou pela própria escultura ao tentar reproduzir a mulher perfeita. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Youtube

Facebook

Pinterest

Instagram