quinta-feira, 31 de dezembro de 2020

Resenha crítica "Poetry" (Poesia) 2010



O filme resenhado hoje é o"  Poetry" de 2010, com direção e roteiro por Chang-dong Lee. Um drama coreano que é exatamente uma poesia. Lembrando para você leitor (a) que a resenha crítica tem meu ponto vista. 

Para quem já leu a sinopse sabe que conta a história de Yang Mija (Yoon Jeong-hee), uma senhora de 66 anos com princípio de Alzheimer que se matrícula em aulas de poesia. Parece simples? mas não é não.

Mija é uma senhora graciosa que se veste muito bem apesar de sua condição financeira, ainda trabalha como empregada e cuidadora de um senhor rico. Ainda que seja idosa e, precisar de cuidados, é Mija quem cuida da família. O que me lembra o Brasil, muitas famílias são sustentadas pelos idosos. E muitas crianças tem a avó como mãe. Mija cria seu neto adolescente que cometeu um grave crime com mais cinco colegas de escola  e para não deixá-lo ir para prisão ela precisa desembolsar uma quantia em dinheiro bem alta para suborno. Valor definido entre os pais dos outros garotos que são de famílias classe média alta. 

 



A nossa heroína não deixa de ser graciosa; no andar, falar e vestir,  mesmo com tanta adversidade. No decorrer do filme,  seu silêncio e seu rosto fica cada vez mais tenso, porém ela nunca se queixa. Guarda tudo consigo. 

Vemos Mija tentar dialogar com alguns personagens do filme como seu neto e a nora do seu patrão, mas é completamente ignorada. 


Diante de tantos problemas Mija tem um único sonho: escrever um poema. Ela não quer ser poeta. Apenas um poema. Mija diversas vezes questiona seus colegas e professor: "Como escrever um poema? É muito difícil!". Sua busca incontralada revela como a doença vem lentamente ocasionando esquecimento de alguma palavras. Ela não desiste. 


E assim ela segue o filme tentando observar a vida com coração e delicadeza em meio ao turbilhão de devasidade do mundo. Mija é uma rosa cercada de espinhos. Com o caderninho na mão e grandes decepções na vida, ela vai fazendo pequenas anotações.


O final do filme é vazio e tem um silêncio ensurdecedor. Talvez represente o que Mija sentia e escondia. Eu fiquei triste, emocionada  e com aperto no coração.

O filme é maravilhoso. É bem lento, mas tem a medida certa. Tem uma cena em particular dos alunos em sala de aula contando suas lembranças e me emocionou. Parecia real as histórias. Incrível o cuidado da direção e roteiro. A atriz Yoon Jeong-hee é a grande estrela do filme. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Youtube

Facebook

Pinterest

Instagram