terça-feira, 1 de outubro de 2019

Guardei uma caneta para um momento especial

Ganhei uma caneta! Era uma tarde qualquer, ainda no período da faculdade, em meados de 2012. Lá no início, onde os sonhos ainda estão à todo vapor, onde tudo ainda pode ser possível. E, durante uma visita técnica, ganhei a caneta. Olhei a caneta, e naquele momento a preenchi de significados. E ao fitá-la no ar, pensei: - Vou guardá-la para um momento especial!". Guardei como se guardasse um tesouro.

Já se passaram muitos anos, e com esses anos, muitos momentos especiais que ignorei. Tantas conquistas que não percebi. E a caneta não fez parte de nenhum deles. 

Esses dias, resolvi organizar meus matérias de escritório (não tenho escritório, só matérias  mesmos), e a encontrei perdida. 

E hoje, cá estou com ela na mão. Não é um momento especial. Precisava de uma caneta para fazer umas anotações e ela estava aqui, jogada na mesa. Peguei, e me veio a lembrança daquele dia, era a tal caneta para um momento especial, que foi completamente esquecida. 

A caneta tão especial, estava largada na mesa, ainda na embalagem. Abri o envelope de plástico mole e tirei a caneta de dentro, apertei o lado superior da caneta com o dedão, para a ponta aparecer do outro lado com um click. Apoiei a caneta no papel para começar a escrever, e ela não funcionou. 

A caneta que guardei por tantos anos não funcionava mais. A caneta para o momento especial não tinha tinta. Rabisquei com força o papel, e só fiz rasgar a folha. "Para quê guardei por tanto tempo?", pensei. Agora sem funcionar, a caneta, que era de modelo simples e barato (percebo isso agora), não tinha mais significado. Já não lembrava o porquê de tê-la guardado. Sem utilidade, encontrou seu destino na lixeira mais próxima, a do banheiro. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Youtube

Facebook

Pinterest

Instagram