domingo, 29 de outubro de 2017

Opinar nas redes sociais é ruim?

Esse texto é mais um daqueles que não tem conclusão e não tem uma resposta exata. Tire suas próprias conclusões.

Li hoje na internet, no Twitter (a melhor rede social do mundo) de um jornalista que tem uma carreira sólida e trabalha no jornal daqui do Espirito Santo,  ele escreveu que opinar nas redes sociais sobre temas polêmicos não é uma boa, pois resulta em uma imagem ruim.

Esse tweet me incomodou muito. Me incomodou porque vejo dezenas e dezenas de jornalistas e pessoas incríveis de outras profissões e formações escrevendo coisas que me fazem pensar e rever minha opinião. Pessoas polêmicas e sábias. E me pergunto se elas parassem de escrever por medo de alguém achar ruim como seria?

Eu me pergunto porque opinar nas redes sociais sobre temas ditos polêmicos é ruim? Provavelmente este jornalista já viu e ouviu muita coisa, já engoliu muito "sapo", já teve que abaixar a cabeça e concordar (e escrever) com opiniões que vai contra sua ética e moral. E eu entendo o ponto de vista dele, porém não aceito ele replicar um discurso de censura como esse que atinge em cheio jovens jornalistas e estudantes inexperientes

A gente sabe que há muito tempo redes sociais já virou uma forma de empresas espionarem você para saber se te dão a vaga ou não. Muita gente já perdeu emprego por conta de postagens e compartilhamentos. Mas veja bem, a rede social é para você socializar, desabafar, escrever coisas que você sente.

Quando você twitta, está escrito lá na caixa de texto: "O que está acontecendo?" e nós contamos. 

Ao mesmo tempo que é uma ótima maneira de empresas distanciarem racistas, machistas, nazista e todos os istas que odiamos, pode ser uma maneira de perpetuarem preconceito e até mesmo excluir pessoas questionadoras e inteligentes. Nem todas as empresas querem um empregado que pense e saiba seus direitos, esses são os chamados anti-intelectuais.

Além do mais, a internet com suas plataformas de comunicação se tornou uma vitrine para pessoas talentosas mostrarem seu trabalho e serem vistos (e lidos) e ganharem o reconhecimento que provavelmente não conseguiria pelas mídias tradicionais. 

Não consigo entender o que dá o direito de outras pessoas de te regularem e dizer o que você deve ou não postar. E usar de seu poder hieráquirco para te amendrotar e censurar. 

Principalmente nessa época de crise, onde muitas pessoas questionam o governo e as medidas tomadas. 

Essa espionagem se origina pelo fato de existir tanta falta de bom senso na internet, preconceitos maquiado de opiniões que "respinga" de diversas maneiras em todos que utilizam as mídias sociais.

Existem os perfis falsos que destilam preconceito;
Existe os perfis de pessoas reais que destilam preconceito também;
Existem os desinformados que compartilham notícias falsas  (fake news) sem verificar a fonte;
Os questionadores;
Os questionadores e leitores ávidos;
Os sarcásticos;
Os que postam foto seminu com frases reflexivas...

Pergunte-se: "Quem eu sou na internet?" Você acha que alguém poderia julgar seu perfil negativamente? Porque? E o mais importante: Você gosta dessa pessoa que você demonstra ser online?

E se pergunte mais: "Quem me delegou (ou a quem quer que seja) o direito de fiscalizar as redes sociais do outro e medir o que é certo ou errado?" 

Você tem embasamento e poder de cognição suficiente para julgar o outro sem se deixar levar por preconceitos?

#MedeixaFalar

Imagem divulgação da internet

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Youtube

Facebook

Pinterest

Instagram