domingo, 28 de maio de 2017

Resenha/Crítica: Invasão Zumbi (Train to busan)

Data de lançamento: 23 de dezembro de 2016 (Brasil)
Direção: Yeon Sang-ho
Séries de filmes: Seoul Station Film Series
Música composta por: Jang Young-gyu Canção original: Goodbye World
Drama/terror/suspense  - 1h 58m

Imagem divulgação
Sinopse: A Córeia do Sul decreta estado de emergência após um vírus desconhecido tomar conta do país. Algumas pessoas tentam fugir de zumbis e ficam presas em um trem-bala que está a caminho de Busan, a única cidade que não foi afetada pelo vírus.

Se você estivesse num ataque zumbi o que você faria: Ajudaria quem quer que fosse possível, e estivesse a seu alcance, ou salvaria somente a própria pele?

O filmes asiáticos são muito bons. Aqui no blog eu já falei sobre o "A partida" (Departures), agora escrevo sobre "Invasão Zumbi" (Train to Busan).

Filmes de Zumbi são um sucesso há séculos, não pense que é recente por causa da série "The Walking Dead", existe dezenas de filmes com essa temática, como a "A morta viva" (1943); "Despertar dos Mortos" (1980); "Dia dos mortos" (1985)...

Imagem divulgação
Imagem divulgação
RESENHA

Com personagens variados, sendo o principal uma garotinha fofa que não tem a atenção do pai, e o pai dela, que depois de ver um vídeo da filha cantando tristinha decide levá-la para a mãe, que mora em outra cidade, Busan. 

E aqui começa o filme, que se passa quase todo dentro de um trem, e lá você conhece dezenas de pessoas completamente diferentes. Os principais: um sobrevivente da vida, que parece um mendigo; um futuro pai; uma grávida; a donzela indefesa; um jovem que descobre sua coragem; uma senhora altruísta; um homem que descobre o valor da amizade e da solidadriedade e uma garotinha que conhece o pior do ser humano. Além disso, um homem amargo e egoísta e um maquinista influenciável.

Você irá se identificar com algum dos tantos outros personagens. O filme é triste. Os personagens mudam de comportamento no decorrer do filme. O longa metragem mostra diversas maneiras de agir diante o ataque,  destaco a grávida, Sung Gyeong (Jung Yumi) que salvou umas 4 pessoas, anulando a máxima de grávida indefesa; o marido dela, Sang Hwa (Ma Dong-Seokum) herói nato e o Seok Woo (Gong Yoo) que tardiamente descobre o que podia ter aproveitado.

Não tem como contar muito sem dar spoiler, mas o filme tem ato heroico, sacrifício, vilanismo (o ser humano pode ser pior que monstros), poder feminino, amor, amizade, coragem e muito aprendizado. 

Imagem divulgação - Mulher poderosa
Imagem ivulgação - A donzela indefesa
Imagem divulgação - Herói
Imagem divulgação - Vilão 
Gostei que o filme usou muito a tecnologia e ressaltou o poder das mídias sociais e, ainda, fez uma crítica aos meios de comunicação e ao governo. Tem uma cena que o líder da Coréia faz uma coletiva ao vivo para a TV e diz que a situação está normalizada, porém as pessoas usavam as redes sociais, postando vídeos e fotos,  para denunciar que o país estava um verdadeiro caos. Qualquer semelhança com a realidade não é mera coincidência.

Essa cena, em especial (das imagens abaixo), me chamou atenção, ao falar ao telefone com um amigo a notícia o deixa abalado, ele se dirige para a pia para lavar a "mão suja de sangue" (Sim, a expressão), no entanto ele percebe que o que ele quer limpar não pode ser limpo com a água e fica bem triste. Foi uma metáfora MARAVILHOSA. 

Imagem divulgação
Imagem divulgação
Muitas vezes pensamos em trabalhar, estudar, viajar, "crescer na vida", e esquecemos de aproveitar os momentos mais importantes, as pequenas coisas, como assistir um filme com a família, brincar com os filhos, conversar com os amigos numa praça... esses momentos, somente esses momentos, são únicos, você não pode estudar eles, colocá-los em planilhas, bater meta, eles não cabem dentro de  um planejamento.  

Tem uma cena muito impactante com um monólogo de uma personagem sentada no trem, essa parte é incrível. 

Em meio a zumbis e pessoas não infectadas, presas num vagão de trem em direção a uma cidade urbana cercada de montanhas, muito arborizada; o filme pode ser interpretado como a visão ambiciosa das empresas em fazer experimentos e não se preocupar com o meio ambiente e as pessoas, economia não pode ser mais importante que a população, precisa andar junto com o bem-estar. Fora outras dezenas de detalhes contido no filme que é muito incrível.

Voltando agora, ao questionamento que coloquei lá em cima na citação, responda a pergunta: Que tipo de pessoa você seria?

Por todos esses motivos a nota não pode ser baixa.

Nota: 10


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Youtube

Facebook

Pinterest

Instagram